O Professor de Futsal

A própria maneira de como o futsal é apresentado para a criança pode influenciá-la positivamente ou negativamente, é nesse cenário que o professor, o treinador ou o técnico tem papel fundamental, ele deve agir como educador, tem a grande responsabilidade de fazer com que a criança aproveite o esporte para assimilar de maneira saudável valores como a moral, o respeito, a educação e a disciplina, que mais tarde espelharão sua personalidade, suas atitudes, seus valores, seus comportamentos políticos, religiosos e etc., enfim comportamentos socialmente adequados e esperados de um cidadão. De acordo com Brotto (2001), através do jogo são estabelecidas possibilidades muito variadas para incentivar o desenvolvimento humano em suas diferentes dimensões, tais como o desenvolvimento afetivo e moral.
Estes valores mostram-se, mais facilmente assimiláveis dentro do jogo, pois no jogo o ser humano se apresenta como realmente ele é, em sua mais pura essência, desprovido de qualquer forma de dissimulação, portanto propício a assimilação, daí a grande importância do professor, pois uma vez mal orientadas essas crianças invariavelmente tornam-se adultos privados de valores básicos para o bom convívio em sociedade.
O professor de futsal que trata com crianças tem que ter claro o seu papel de educador, tendo sempre primeiramente o intuito de formar cidadãos e não simplesmente jogadores. Lucena (2001) cita alguns procedimentos importantes que devem ser tomados pelo professor para facilitar o processo de ensino no futsal dando ao aluno capacidade de entendimento não só do desporto mas principalmente dos seus valores, tais como, observar e diagnosticar comportamentos que evidenciem interferências negativas do emocional nas ações motoras (nervosismo, falta de concentração); proporcionar maior variedade de experiências dentro do jogo; evitar preocupação com a performance favorecendo o aprendizado total; utilizar competições como incentivo, possibilitando a participação de todas as crianças no contexto, entre outros.
Santana (2001) ainda completa essa linha de pensamento dizendo que o professor deve ter um compromisso político voltado para os interesses do ser humano, criando um ambiente favorável para o surgimento e incorporação de valores imprescindíveis à vida do homem como autonomia, participação, cooperação, respeito, interação social, solidariedade e liberdade de expressão.
Segundo Apolo (2004), na maioria dos casos em que há uma boa condução da equipe por parte do professor, formam-se indivíduos de bem, dotados de valores característicos do esporte, principalmente quando estes tem a oportunidade de aliar a experiência esportiva com uma base de estudos formais. Daí a importância do futsal ser orientado por profissionais de educação física, cientificamente capacitados para tal e com a obrigação, de acordo com o código de ética profissional do conselho federal de educação física, de zelar pelo desenvolvimento integral dos indivíduos.